Servidor federal: 5 órgãos denunciam falhas no combate à Covid-19

Metrópoles          30/04/2020
Os empregados públicos que continuam indo às repartições se queixam da falta de álcool em gel e máscaras nos órgãos, por exemplo
Além da possibilidade de congelamento dos salários, a tensão entre funcionalismo público e governo ganhou um novo aspecto.
Com a obrigatoriedade do uso de máscaras no Distrito Federal, servidores denunciam falta de equipamentos de proteção. Insatisfeitos, aqueles que estão trabalhando presencialmente ameaçam parar.
Na Esplanada dos Ministérios, o clima é de insatisfação. Os empregados públicos que continuam indo às repartições se queixam da falta de álcool em gel e máscaras nos órgãos, por exemplo.
Funcionários do Palácio do Planalto, do Ministério do Turismo — uma servidora de 62 anos da pasta morreu pela doença —, da Embratur (Instituto de Turismo) e nos hospitais Universitário de Brasília (HUB) e das Forças Armadas (HFA) já apresentaram denúncias formais aos sindicatos.
O acessório de proteção é considerado essencial para evitar a propagação do novo coronavírus, causador da Covid-19, principalmente em ambientes fechados. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), inclusive, anunciou que irá instituir multa para quem sair às ruas sem máscaras.
O secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo da Silva, adianta que a entidade está preparando um relatório que pode dar origem a uma denúncia a órgãos de controle.
Segundo ele, a situação é dramática. “Temos recebido denúncias da precariedade das condições das pessoas que estão trabalhando presencialmente. É uma…

Escrever um comentário