Relator amplia categorias de servidores que ficarão ‘blindados’ de congelamento salarial até 2021

Terra          06/05/2020

Medida é uma contrapartida para o socorro fiscal a Estados e municípios; entre os que não terão os salários congelados estão servidores das polícias Federal e Rodoviária Federal e agentes penitenciários federais

Brasília – Relatório do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) ampliou as categorias excluídas de congelamento salarial previsto no projeto de socorro aos Estados e municípios. O relator “salvou” do congelamento os servidores das polícias Federal, Rodoviária Federal, agentes penitenciários federais, profissionais da limpeza pública, assistência social e guarda municipal.

Já estavam de fora os militares das Forças Armadas, profissionais de saúde e militares da área de segurança dos Estados. O congelamento vai até 31 de dezembro de 2021. 

Ao Estado/Broadcast, o relator confirmou a decisão, mas disse que esses profissionais terão de estar na linha de frente da ação de combate à covid-19. 

“Está escrito desde que esteja na linha de frente. Quem está no combate do coronavírus. Quem está na reserva não recebe. Quem está deslocado num batalhão que não tem nenhuma atividade ligada ao coronavírus não vai receber aumento”, disse.

Pedro Paulo informou que os voluntários que estão no interior no País trabalhando na linha de frente nas fronteiras na ajuda direta à população de risco ficarão de fora do congelamento. Segundo ele, União, Estados e municípios terão de delimitar quais servidores estão na linha de…

Leia a íntegra em Relator amplia categorias de servidores que ficarão ‘blindados’ de congelamento salarial até 2021

Escrever um comentário