Prisão de Queiroz e projeção de novo corte na Selic pressionam dólar

A prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro e a sinalização do Banco Central de novos cortes na Selic levaram o dólar à sétima alta consecutiva. A moeda valorizou 2,13% ante o real nesta quinta-feira (18), cotado a R$ 5,37, no maior patamar desde 1º de junho, quando atingiu R$ 5,3843.
Leia mais (06/18/2020 – 18h45)

Escrever um comentário