Pesquisa avalia experiência dos servidores federais com trabalho remoto

BSPF          11/05/2020

As respostas vão ajudar na formatação de políticas públicas permanentes no futuro

A Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) do Ministério da Economia e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) divulgam pesquisa sobre o trabalho remoto durante a pandemia para servidores públicos federais. 

O questionário será enviado para todos os servidores públicos federais do Poder Executivo Civil, nesta segunda-feira (11/5), por meio de um sistema interno de mensagens da SGP. A pesquisa é anônima, voluntária, e o tempo de respostas é de cerca de 15 minutos. 

A Pesquisa faz parte de um estudo conduzido pela Duke University, em conjunto com a Harvard Business School e a Kayma, laboratório israelense de economia comportamental, e está sendo realizada em nível mundial, com maior foco no Brasil, Estados Unidos e Israel. 

O cenário de isolamento social em função da pandemia causada pelo coronavírus levou muitos servidores a trabalhar em casa. Atualmente, cerca de 50% dos servidores públicos federais estão em trabalho remoto – esse número não inclui as Instituições Federais de Ensino Superior, uma vez que o Ministério da Educação divulgou um painel dessas instituições em seu próprio portal. 

O objetivo da pesquisa é examinar a experiência das pessoas com o trabalho remoto e o gerenciamento de servidores no contexto da Covid-19. Os resultados também devem contribuir para a formatação de políticas futuras de trabalho remoto. 

“Queremos utilizar esse momento para avaliar profundamente e repensar algumas das normas que nos guiaram até aqui”, afirma Wagner Lenhart, secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia. “Estudos indicam que somos influenciados por diversas forças sociais, que desenvolvem hábitos e realidades que não costumamos questionar, como por exemplo, o fato de nos deslocarmos a um escritório para realizar nossas atividades profissionais.” 

Existem outras questões que devem fazer parte dessa análise como, por exemplo, o impacto ambiental do trabalho remoto, considerando a diminuição do trânsito de veículos nas cidades. “O resultado da pesquisa permitirá entender também a influência que esse novo ambiente, arranjo familiar e tipo de atividade têm para que o teletrabalho aflore as habilidades e talentos dos servidores”, acrescenta Lenhart. 

Acesso aos resultados 

O governo brasileiro terá acesso aos dados compilados da pesquisa, agregados e com recortes específicos para facilitar a análise e o entendimento das respostas, de acordo com a realidade dos servidores brasileiros. O Governo Federal também poderá realizar benchmarking (análise estratégica das melhores práticas) com os demais países participantes, compartilhando dados e experiências.

Fonte: Ministério da Economia

Escrever um comentário