Mais de 1,5 mil servidores federais se candidatam, mantêm salário e custam pelo menos R$ 46 milhões

G1     12/11/2020

Segundo o Ministério da Economia, eles não têm a opção de abrir mão da remuneração nesse tempo. Especialistas dizem que dinheiro recebido e licença do trabalho podem desequilibrar disputa em pequenas cidades.

Um levantamento feito pelo G1 revelou que ao menos 1.593 servidores do governo federal são candidatos nestas eleições.

Esses funcionários foram obrigados a solicitar uma licença para a atividade política, que dura de três a seis meses, dependendo do cargo. Segundo o Ministério da Economia, os servidores não têm a opção de abrir mão da remuneração nesse tempo, apesar de estarem afastados do cargo.

Em apenas um mês, o salário desses servidores chega a R$ 15,5 milhões. Ou seja, considerando o tempo mínimo de licença, esse montante é de R$ 46,4 milhões.

É provável, porém, que os valores sejam ainda maiores, principalmente quando considerados os servidores do Legislativo e do Judiciário, além de funcionários públicos das esferas municipal e estadual.

Os servidores que se lançaram na política em 2020 ocupavam, principalmente, os cargos de professor, médico, policial rodoviário federal, sargento e técnico do seguro social. A maioria estava lotada nos ministérios da…

Leia a íntegra em Mais de 1,5 mil servidores federais se candidatam, mantêm salário e custam pelo menos R$ 46 milhões

Share This

Escrever um comentário