Cenário externo ofusca crise política brasileira e anima mercado, diz presidente de banco

A semana que começa, depois de mais um domingo de protestos pró e contra Bolsonaro e com as estatísticas de mortos pela Covid-19 acima de 50 mil, tem o agravante da incerteza política aquecida pela prisão de Fabrício Queiroz. Na avaliação de Gabriel Galípolo, presidente do Banco Fator, no entanto, a sensibilidade do mercado é menor ao noticiário político e policial do que ao fato de que os principais bancos centrais no mundo estão injetando fatias significativas de seus PIBs e prometendo esforços para sustentar o preço dos ativos financeiros.
Leia mais (06/21/2020 – 17h33)

Escrever um comentário