Aritmética desagradável

A dívida pública está crescendo aceleradamente. Mas permanece o discurso de que o teto de gastos seria excessivamente duro, com pressão para criação de novos gastos, sem racionalizar os já existentes. Há propostas para, simultaneamente, flexibilizar o teto, para gastar mais agora, e fazer ajuste fiscal depois, para controlar dívida.
Leia mais (11/20/2020 – 23h15)

Escrever um comentário